Grande Mini-Dicionário da Dona Rute

Férias passadas montei com o meu sobrinho um plano maligno, que implicava em anotar todas as coisas bizarras que minha mãe (Dna Rute) fala, que fazem todos rirem loucamente. Não podia deixar isso se perder por aí, e acho que vale a pena compartilhar a primeira versão de um dicionário tão rico.
Segue abaixo o esperando grande Mini-Dicionário Dna Rute (“é bom e eu agarantho!”)
Técnico = Técnu
Vírus = Visgu
Peido = Peidhu
Dorfle = Dorfrec
Doida = Dodha
Música = Musga
Preguei = Apreguei
Abusiva = Abusive
Caimbra = Cambra
DVD = DDD
Globo = Grobu
Vidro = Vrido
Riata = Arriata
Folha = Foia
Bicicleta = Biciqueta
Brava = Braba
Panetone = Panetônico
Almôndega = Amônica
Em uma semana = De hoje à oitho
Atualizado 09/12/2010
Exaustor: Isastrô
Expressões:
Para qualquer coisa: “Ai que horror!”
Para coisas difíceis: “Au Au…”
Adendo para qualquer música: “…Mané … José”
Quando cansada: “ Tô só o creme”
Antes de dormir: “ Vou assistir o rádio”
Aguardem por adições!

A Ruminante

Bocejo.

Os olhos caídos, cansados

Olhando pro nada,

Prum pasto?

Só pasto, nessa vida dura.

Bocejo,

Dói a mandíbula de tanto abrir a boca.

Depois mastigo sei lá o quê,

Com som de mnham mnham mnham.

Bocejo.

Mastigo.

Desisto.

Engulo.

É mesmo, até pareço uma vaca.

 

Domingo de Páscoa

Assim que ela fechou os olhos, ele trouxe a caixa à frente do corpo, ajeitou um sorriso superbranco no rosto e disse :
— P… pode olhar.
A primeira coisa que ela viu foi o contraste da embalagem com a pele escura do cavalheiro, depois seu olhar contente. Pulou no pescoço dele, com um entusiasmo inocente.
Antes mesmo de devorar o conteúdo da caixa, ainda empolgada com o acontecimento, decidiu tatuar o vício antigo e o novo: um chocolate branco ao lado do rosto do Marcelo Negão.
Ficou lindo na pele.
Na volta para a casa, contando os minutos para o encontro com o presente, começou a ler as recomendações de cuidados para a nova tattoo.
A segunda linha saltou aos olhos e afundou o estômago:
“Não ingerir: alimentos derivados do cacau.”
Era domingo de Páscoa.

A Proposta

— Casar?
— Casar.
— Só com casa.
— Casa?
— Pra casar.
— Se casar, vai coser?
— Casualmente.
— Sua coisa..
— Coisa?
— …
— Assim não caso.
— Ah…!. casa…?
— Caso. Se..
— Que coisa?
— A casa.
— Cozinhar?
— Caso sério…
— Cacete! Coisa nenhuma?
— Uma coisa.
— ?
— C*
— Casaremos.
— Com casa?
— Com tudo!

“Yes, Man!”

Vale a pena ver “Yes, Man!” no cinema? Sim, Senhor!

Quarta feira sempre pede cinema certo ? Mais barato e mais vazio que nos finais de semana, então aproveitei a minha última semana livre 🙁
Mesmo sendo suspeita pra falar (eu sempre rachei de rir com as caras e bocas do Jim, ainda que sejam as mesmas caras e bocas em todos os filmes), não posso deixar de reforçar : ele está realmente muito, muito engraçado nesse .. misturando o sarcasmo característico dele e até um pouco de seriedade, dessa vez ele não é um completo palhaço debilóide – com o perdão do trocadilho – como na maioria dos filmes que marcaram sua carreira, obviamente, ser debilóide não tira o mérito de suas atuações.

Hmm, o filme já ganhou a mim pelas paródias que foram feitas com Harry Potter, me identifiquei com o ator que faz o Rony, não sei porquê. Hehe

Bom, é isso.
Rs, poderia mesmo falar apenas isso pois o filme não tem nada de tão extraordinário, de tão diferente dos mas é melhor que uma porção de comédias que lançaram nos últimos tempos: tem nexo, um pouco de romance (na dose – e química – certa), boas piadinhas e… bom , tem o Jim Carrey mostrando sua excelência em comédia 😉

Se você é daqueles que acredita na reação do público como medidor de uma boa arte, então devo ressaltar :
1 – A sala explodia em riso quase o tempo todo
2 – Chegaram a bater palma em uma das cenas (não conto, não conto)
3 – As expressões que se ouviam no final eram : “Muito bom!”, “ Vou trazer fulano pra ver!”, “ Ele ( Jim) é o melhor!”

Bom, é isso. (tive uma professora que dizia pra eu nunca concluir uma coisa dizendo “ É isso.” … hmmm … desculpe Professora.)

“Sim, senhor!” é um ótimo programa pra um fim de dia estressante no trabalho, ou pra um dia tedioso pra quem está de bobeira, afinal, não é todo dia que se pode ver o Terrence Stamp correndo 😛

Saiba mais em: Omelete.