Kick Ass – quebrando (toda) a sua expectativa de mais um lixo americano

Uau. Faz um tempão que não falo de filmes aqui, né? Acho que faz um tempo que não falo de nada aqui, rs, mas vamos lá.

Kick Ass – Quebrando Tudo. Juro que não li nenhuma crítica do filme antes de ir ao cinema vê-lo. No máximo, dei uma olhada nos milhões de teasers que a Universal liberou antes do lançamento oficial.

Nem estava empolgada, mas o filme já começa incrível pra quem gosta de maldade e fugas ao esterótipo “herói que tudo pode”. Quanto mais o garotinho nerdinho bonitinho (nerdinho bonitinho?) da escola se lasca, mais a gente se diverte ^^ (quem concorda, bate aqui!)

E vamo que vamo: o filme é cercado de referências à HQs conhecidas e outros filmes nerds, desde a roupa do personagem do Nicolas Cage Coruja de Watchmen , Damon que, aliás, está bem interpretado, pra compensar o fiasco de “Vício Frenético (2010), até os cenários (becos de Spider Man, Sala de treinamento do Karate Kid e mais … )

Um romance é colocado ao fundo para prender o povo à história (óbvio), mas – do jeito que ela vira depressa – esse tipo de isca nem era necessária (até porque a personagem que faz par romântico com o “nerdizinho bonitinho” é uma anta, pra variar).

Um brilho especial vem da fascinante “Hit Girl”, Mindy (Chloe Moretz), que dá orgulho até ao mais bravo dos heróis e ao mais durão dos vilões. As caras e bocas, os diálogos, aquela peruca roxa estilo Penélope charmosa do mal, fazem da garota a cereja do bolo “Kick Ass”. Até toque de Kill Bill eles deram na participação dela (para mim, uma mini Natalie Portman, até na aparência).

Divertido, bem feito (cores que dão a sensação de HQ o tempo todo, trilha sonora no mínimo interesante e cortes sensatos [aqueles que não te deixam com cara de “ahn?” no cinema]) e teeeeenso, para não perder o clima de uma verdadeira história em quadrinhos ^^

Reparem e divirtam-se.