Miniconto 78* – Buquê eterno

Diariamente sentava-se ali, com as flores firmemente presas aos braços, esperando que qualquer mulher que se chamasse Luana Cervantes da Rocha pudesse aceitá-las.

One thought on “Miniconto 78* – Buquê eterno

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *