O fragmento de prosa poética usurpado pelo “Texto Fantasma”

Se você ler o post anterior a este, vai descobrir que acabei me dedicando a escrever sobre a dificuldade de escrever, do que ao que queria realmente escrever. (confuso, assim mesmo :P)
Posto abaixo um pedaço do que estava tentando redigir, é como o making of do conto Texto Fantasma.

Dessa vez, não tem problema se só eu entender o que eu disse, quero deixar registrado para deixar registrado (pra quem é essa teimosia toda? Hahahaha)

“Here Comes The Sun”, dos Beatles, é a música que traduz o exato sentimento do momento, a musica que traduz o que eu não consegui traduzir em palavras (aliás, consegui, mas ficou um desastre!).

Leia ouvindo-a 😉

Foi só um instante, mas foi xD

____

O Fragmento de Prosa poética Usurpado Pelo Texto-Fantasma 

E o imã chegou. Juntando com cuidado cada pedaço de uma sensação há muito não vivida.
A íris distorcida, a pupila dilatada, o olhar prejudicado pelas lágrimas. As mãos juntas em descrença, o coração inflado (e apertado) por segundos suficientes para a respiração falhar.

Quanta surpresa suporta um coração quebrado?

Tum-tum, tum-tum, tum-tum…
Tic Tac, Tic Tac, Tic Tac, Tic Tac…

Naquele instante, o ritmo do tempo pareceu se adequar ao do coração.
Uma nuvem de fogo cobriu o gelo, derretendo até a última molécula de ar, fazendo do minuto – tão atordoante – o melhor em mais de 300 dias congelados. Faltaram palavras, ação, e até um pouco de crença.

Quanta alegria cabe num peito desalmado?

Quem liga? Uma maravilhosa fresta de sol apareceu!
E eu amo o verão.

One thought on “O fragmento de prosa poética usurpado pelo “Texto Fantasma”

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *