Lúgubre Grifo

O que te leva a insistir no que te angustia e de mim te priva?
Diz-me, amada querida, o que te faz preferir morrer à deriva?
Onde se esconde o desejo outrora tão encarnado?
Ainda existe a beleza por trás do vaso quebrado, eu sei que existe.

Sufocando a saudade no torpor do caminho.
Esganando a verdade no coração sozinho.

Onde arrumaste esta corda que só faz machucar, minha amada?
O pouco tempo que tens só está a passar, e tu marcada.
Cicatrizes não podem ser apagadas, mas pegadas podem se aliviar
O sentimento não morre enquanto se quer lutar.

O que te faz perder o que te faz amar?
Como encontrar coragem onde o vazio está?

Perdeu o jeito de se renovar, amor meu?
Mais uma vez, tarde demais? Eu sou seu.
Peço-te: não se engane e nem fuja menina.
Acasos não determinam uma sina.

Invalidez induzida na estrada comprida.
Morte poética na métrica da vida.

_________

“Há entendimentos longe de nossas explicações
Há explicações longe de nossos entendimentos”¹
¹ Sir Raphael Trevilato

One thought on “Lúgubre Grifo

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *