Miniconto – Lenda Urbana

O homem era muito forte, a pobre se debatia desesperadamente em vão. Após alguns minutos, deu adeus às suas saias prediletas e cedeu à dor quase insuportável. Mesmo depois daquele dia, a garota ainda acreditava na velha história da cegonha.

 _

A campanha abaixo foi criada pela agência indiana Lowe Lintas para a Vatsalya, uma fundação que luta contra o abuso infantil. Nesse caso, ela cita especificamente os garotos que também sofrem com esse tipo de violência.

 

“One out of six boys is a victim of sexual abuse. You can help. Call. Vatsalya” (Um em cada seis garotos é vítima de abuso sexual. Você pode ajudar. Ligue.)

Enigma Esquecido

Uma palavra linda
Uma palavra fácil
Uma palavra simples,
Porém quase irrealizável.

Em três letras ela está,
Em uma sílaba ela se forma
E o mundo não consegue realizá-la.

Numa pomba ela é simbolizada
No branco ela é lembrada
E o mundo não consegue realizá-la.

Ela é pequena, porém essencial,
Ela é grande, ela é forte!?
E o mundo não consegue realizá-la.

Temos a letra P
Temos a letra A
Temos a letra Z
Mas, cadê você?

Desde o início dos tempos você sumiu,
E a partir daí, o mundo esqueceu de ti.

__
Esse poema, eu escrevi no ano e mês em que “começou” a guerra entre EUA e Iraque, estava na 6º série e lembro que o assunto foi tema pra um bimestre inteiro de aula. Um saco na época. Ele é um Enigma Esquecido por dois motivos: primeiro porque ele não tinha nome, dei-o agora porque tinha até esquecido que ele existia, e segundo porque, sobre o que ele trata, muitos nem sequer têm guardado na lembrança..
Março/2003

Finalmente : Feliz 2009!

Pra quem nunca tinha ouvido falar , o palavra Carnaval origina-se do termo “ Carne vale”, que não tem origem certa – uns dizem que é um termo Romano, outros dizem que é Grego.

O que ele significa?

Essa é a parte, no caso dos brasileiros, maliciosamente irônica da história:
“Carne Vale” significa “Adeus à Carne”, por conta do inicio da Quaresma na quarta-feira de cinzas.

Se a festa era pra ser ligada ao Cristianismo, acho que o diabo mexeu seus pauzinhos, pois – pelo menos aqui no Brasil – o carnaval é a época em que as maiores tentações são expostas, principalmente a carne proibida, se é que dá pra entender.

Uma imagem basta:

 Vale refletir sobre qual a real visão do nosso carnaval, aqui e no resto do mundo.

Sob quais aspectos somos lembrados afinal?

Pra quem é adepto da frase: “O Ano só começa depois do Carnaval”(e da Quaresma), deixo aqui o meu Feliz 2009 e um bom apetite. – sem segundas intenções, é claro.

PS: A Sabrina Sato está até fazendo uma cara de : “que absurdo!” na foto. Sugestivo? Hehe. 

Que burocracia, que nada!

Se tinha uma coisa que Júlia não suportava, era pedir dinheiro ao seu padrasto. Ele a adorava e fazia tudo por ela. Ela só falava com ele aos gritos, descarregando no coitado suas frustrações e desesperos inventados. Um dia precisou dele, mas foi esperta:

A enteada do Gerente de Comunicação daquele banco, na sessão de empréstimos, com um ar superior:

– Preciso de R$10.000,00 para pagar em 15 vezes, sem juros, ainda hoje.

O Gerente de Contas espantado com a ousadia da garota:

-Isso não será possível , o seu limite de empréstimos está realmente muito abaixo do que a senhora necessita e não abrimos exceções sob hipótese alguma.

Uma ligação :

– Pai, preciso de R$10.00,00 pra hoje e o imprestável Gerente de Contas desse banco não quer liberar o empréstimo só porque o meu limite é menor do que eu preciso. Danem-se os limites! Eu preciso disso agora.

O Gerente de Comunicação, assustado com a irritação da enteada preferida, assume uma voz grave e pede que ela passe o telefone para o homem à sua frente:

Uma frase.

-Eu impedi que o escândalo do desvio de dinheiro que o senhor fez se espalhasse. É a hora da retribuição.

Naquele dia, a garota saiu do prédio aos pulos pensando: Com aquele vestido novo combinado com a jóia daquela loja, por onde eu passar na festa, se jogarão aos meus pés. Quero só ver se ele não volta pra mim.

=
Você já chegou a contar quantas vezes se comunica com algo, ou alguém durante o dia? Desde decodificar as letras no jornal até a última palavra antes de dormir?
A comunicação está em tudo, todo o tempo, é tão importante que pode ser “confundida com a própria vida.”¹

Pois bem, networking e comunicação são a base do elixir da evolução (e da consignação?)
É simples assim: quem não se comunica, se trumbica.

___
¹ É o que diz sobre a comunicação Juan E. Díaz Bordenave no livro “O que é comunicação” (Ed. Brasiliense).

Noitão HSBC Belas Artes

Fugindo do clima de Sexta Feira 13, o Noitão HSBC Belas Artes desse mês vem com uma dose de suspense e duas de comédia. Isso mesmo! Dessa vez serão três filmes de conhecimento geral e um “filme surpresa”.

Pra quem nunca ouviu falar, o Noitão HSBC Belas Artes é um evento que acontece do cinema HSBC (Rua da Consolação, 2423), todas as 2º Sextas Feiras do mês. Durante toda a noite – começando a 00:00 da sexta – são projetados 2 filmes divulgados no site do cinema antecipadamente e um filme que só é descoberto na hora da projeção.

Pra quem gosta de cinema, é uma ótima pedida: os filmes são geralmente bons, os ingressos custam apenas R$ 18,00 (Meia entrada para estudantes, idosos e clientes HSBC) por toda noite de diversão.

Além do mais, nos intervalos dos filmes são sorteados brindes diversos – DVDs, CDs, Camisetas – para todos os participantes do Noitão; e para melhorar ainda mais : por volta das 6 da manhã, quando acabam as sessões, é servido um café da manhã para todos os chamados “sobreviventes”.

A programação desse mês, vocês podem conferir aqui.

 Pra quem gostou da ideia, garantam seus ingressos antecipadamente online, boa diversão .. e sorte! 😉

Estranho Lunático Fantástico

Um espírito sarcástico, um estranho lunático, um poema ático e o circo estava armado.
venham, venham conferir : a menina que roubava e-mails do consumidor fantástico!

Em sua busca incansável por novidade, a garota aproveitava toda e qualquer oportunidade. Do quê? De quê? De se dar bem em meio à insanidade.

Já vinha com detector de criatividade embutido em sua mente, passava horas a fio procurando atentamente algum texto, foto e até som que fosse diferente.

Um dia então, a menina o encontrou, numa ironia digna de Sócrates, a ousadia do homem a paralisou. O que podia, pobre menina, fazer para curar esse torpor?

Oh, grande era da tecnologia!

Num e-mail tímido e sucinto, sua admiração mostrou, e nas entrelinhas implorou: Dê a este ensejo mais sabor! E não é que funcionou?

Uma resposta ela recebeu e seu queixo em espanto cedeu. Indelicadamente audacioso, o homem se mostrou tão jeitoso, que até deu medo, o que dizia exatamente aquele e-mail…espectadores, é segredo.

Fato é que se sucedeu então nesse vai-e-vem de palavras, uma coisa que a menina nunca pensava: pôde perceber que a juventude em que estava, perdera o encanto.

Onde foi parar o tempo do casamento santo, de vestido branco e de medo infanto-juvenil que a perna faz tremer? Oh, jovens espectadores, onde está o prazer em desconhecer?

Mesmo triste com a conclusão, a menina só pode render-se então ao humor inescrupuloso do Sr. Falante, continuaria em sua busca, aventureira errante num mundo em que o até o mais chulo, e manjado (manjado?) dizer de pensamentos, era fascinante.

___
Eu conheci um cara, cheio de malícia carioca e experiência de vida (é o que parece), vi nele mais que um consumidor revoltado, (foi através de um e-mail rebelde à uma filiada da Semp Toshiba que eu o achei), eu vi nele um escritor/cronista/humorista muito talentoso. Então lhe enviei um e-mail com as minhas parabenizações, ele respondeu, e aí escrevi esse .. bom, sei lá o que é isso, só pra guardar esse capítulo da minha história em algum lugar … 

Agora ela era bixo

Agora ela era bixo, pode?

Aquela menina magricela do cabelo de bombril que, por artimanhas com a diretoria da escola (era o que diziam) foi jogada na 2º série do Fundamental, quase sem passar pela primeira.
Coitada!
Vieram os apelidos.
– Aêêê, “primeira série”! Sabe soletrar a palavra BOCHECHUDA sem errar?

Ela não sabia. Mas acabou aprendendo, pela força do hábito.
Agora ela era bixo, pode?

Aquela estranha que se vestia da cabeça aos pés de vermelho, sentava na primeira carteira, de cara com a professora e mesmo assim falava pelos cotovelos. Na reunião bimestral de pais era sempre a mesma coisa:
– Ela tem ótimas notas, só precisa calar a boca.

Ela não calou. Força do hábito.
Agora ela era bixo, pode ?

Aquela vizinha esquisita, não brincava com as garotas da mesma idade, vivia em casa, trancada à chave, o que gostava fazia lá dentro? Ninguém sabe.
– Oxem,tinha era se entrosar, parece até bicho do mato!

Ela não se entrosou. Eles estavam certos.
Força do hábito?
Agora ela era bixo.

___

Me perguntaram o que eu espero do 1º dia de Faculdade.
Resposta:
– De verdade? Só espero que não me pintem muito 😉

“Yes, Man!”

Vale a pena ver “Yes, Man!” no cinema? Sim, Senhor!

Quarta feira sempre pede cinema certo ? Mais barato e mais vazio que nos finais de semana, então aproveitei a minha última semana livre 🙁
Mesmo sendo suspeita pra falar (eu sempre rachei de rir com as caras e bocas do Jim, ainda que sejam as mesmas caras e bocas em todos os filmes), não posso deixar de reforçar : ele está realmente muito, muito engraçado nesse .. misturando o sarcasmo característico dele e até um pouco de seriedade, dessa vez ele não é um completo palhaço debilóide – com o perdão do trocadilho – como na maioria dos filmes que marcaram sua carreira, obviamente, ser debilóide não tira o mérito de suas atuações.

Hmm, o filme já ganhou a mim pelas paródias que foram feitas com Harry Potter, me identifiquei com o ator que faz o Rony, não sei porquê. Hehe

Bom, é isso.
Rs, poderia mesmo falar apenas isso pois o filme não tem nada de tão extraordinário, de tão diferente dos mas é melhor que uma porção de comédias que lançaram nos últimos tempos: tem nexo, um pouco de romance (na dose – e química – certa), boas piadinhas e… bom , tem o Jim Carrey mostrando sua excelência em comédia 😉

Se você é daqueles que acredita na reação do público como medidor de uma boa arte, então devo ressaltar :
1 – A sala explodia em riso quase o tempo todo
2 – Chegaram a bater palma em uma das cenas (não conto, não conto)
3 – As expressões que se ouviam no final eram : “Muito bom!”, “ Vou trazer fulano pra ver!”, “ Ele ( Jim) é o melhor!”

Bom, é isso. (tive uma professora que dizia pra eu nunca concluir uma coisa dizendo “ É isso.” … hmmm … desculpe Professora.)

“Sim, senhor!” é um ótimo programa pra um fim de dia estressante no trabalho, ou pra um dia tedioso pra quem está de bobeira, afinal, não é todo dia que se pode ver o Terrence Stamp correndo 😛

Saiba mais em: Omelete.

Poema – Para o primeiro amor.

Não sei o que estou escrevendo
Não sei nem mesmo o que estou dizendo
Acho que estou dando um aperitivo ao meu coração
Que está cada vez mais te querendo

Ele grita te chamando
E palpita o tempo inteiro
Me sinto como uma agulha
Perdida num estaleiro

Pego o telefone e te ligo, sem te dizer meu nome.
Procuro algo, um motivo
Pra saciar minha fome.

A fome não é de alimento
A fome não tem sabor
A fome que eu sinto agora,
É a fome do teu amor.

Você não sabe mais quem sou
Só sabe que eu era a sua vizinha
Queria tanto que você se lembrasse das mil e uma cartinhas
Que eu jogava na sua garagem
Todo dia de manhãzinha

Nelas, frases de amor eu escrevia
Na esperança de que você lesse um dia
De que você conseguisse compreender
A intensidade da minha agonia,
De ter só um pouquinho de você.

De sentir ao menos uma vez,
Essa sua boca linda,
Esperando, sempre, que um dia você abrisse os braços e dissesse:
“Gé seja bem vinda!
… seja bem vinda ao meu coração,
À vitória da sua paixão!”

Quem acredita sempre alcança
Quem acredita nunca cansa, nunca desiste,
Porque o amor (Fernando) é a melhor coisa que existe!

___

Poema feito para o meu “1° amor ” que durou uns 3 anos ( absurdo!) , eu tinha apenas uns 6/7 anos quando me dei conta que minhas pernas não me obedeciam quando eu o via ¬¬
O desfecho desse caso foi …. bem, só de eu ter escrito o poema quando já estava com 11 anos .. isso diz tudo. O Amor é triste. Pois é, pois é.
P.S.: Medo da meu próprio sentimento o.O , isso é possível sendo tão pequena ? Eu ein ! 😛

A mosca

Minha mãe diz:
– Parece mosca! Tira e não põe no lugar, tira e não põe, tira e joga …
E eu me pergunto : mosca faz isso ?

_

NOTA: Vou passar a postar textos/poemas e frases que eu escrevia num velho caderno que achei, convenientemente, esta noite no meu gurda roupa. São todos de quando eu era bem novinha: 13/14/15 anos.
[Texto escrito no mês 07/2005]

” Foi Apenas Um Sonho” de um final de semana…

Se há uma coisa que tenho pavor, é esse tal de tédio. Fujo do tédio como Harry Potter foge de Lord Voldemort (ok, essa foi horrível :P) , por isso esse final de semana consegui uns programas de final de semana, olha só que divertido!?!

Sábado fui ao ótimo Cinemark do Shop. Eldorado ver o novo filme de Sam Mendes (Beleza Americana): “Foi Apenas Um Sonho”(Revolutionary Road, em inglês), a expectativa – é claro – estava em torno da volta de um dos casais mais famosos da história cinematográfica. Kate Winslet e Leonardo DiCaprio se superaram nesse drama (Globo de Ouro merecido à Kate), que te envolve de tal forma a ponto de você sair com os ombros pesados e uma estranha sensação de angústia da sala. Uma história terna e contundente, cotidiana e extraordinária que se faz plausível em cada duelo de interpretação do casal (que passa o filme inteiro entre crises e discussões de arregalar os olhos).

Triste, o filme não é pra quem está esperando uma bela história de amor como Titanic; você pode até se emocionar com as poucas demonstrações de carinho que Frank Wheleer (Di Caprio) e April (Kate) fazem um ao outro e até mesmo rir com o leve tom de humor irônico que é trazido por Michael Shannon ( no papel de John – ótima atuação, diga-se de passagem), mas prepare-se para viver uma história pelejante e trágica. Um dica : não deixe de reparar na sensacional ambientação do filme… e se a obra não te agradar, passe o tempo tentando encontrar algum homem sem chapéu entre as cenas. Haha

Bom, eu não ia mesmo falar tanto sobre o filme, criticá-los não é meu ponto.. eu gosto mesmo é de assisti-los, mas enfim .. o resto do final de semana foi regado à Led Zeppelin, truco e cerveja ( essa última, não pra mim é claro).

Sabe, acho que as pessoas deviam fazer nada mais vezes: é estranho que eu tenha dito no começo desse post que tenho repúdio de tédio e agora expressar a minha disposição em não fazer nada, e essa é uma controversa que eu não saberei explicar; escutar boa música e rir com alguns amigos soa como corriqueiro, soa como “ não fazer nada”, e é sobre isso que eu falo: esse tipo de divertimento custa barato e vale muito a pena; é um trocar de informações.. um tocar de violões… um embaralhar de emoções que – se você parar pra reparar – é cada vez mais raro nesse dia-a-dia globalizado, por isso deve ser praticado e deleitado sempre que possível ou, de modo mais desesperado: sempre que necessário, afinal .. quem não precisa de um dose de rock e baralho nesse mundão de guerra e cascalho ? Ein? Ah, por favor .. comprem minha mensagem barata! Ela só precisa entrar na sua cabeça por um minuto, te fazer esboçar um sorriso amarelo no rosto e ir embora …

Depois você poderá voltar para os seus próprios conflitos e diversões e eu voltarei pra minha luta diária sem causa primária, rs ..

Boa semana !

Descobrimento [2]

“Quem um dia irá dizer, que existe razão nas coisas feitas pelo coração? E quem irá dizer que não existe razão?”

Engraçado como funciona o começo de uma amizade. Chega sem pedir licença (como as borboletas quando se está amando) então vai tomando cada íntimo e cada filete de pensamento aleatório, então, quando você se dá conta, está torcendo pra aqueles seus amigos (mas já amigos?) estarem de bobeira sentados numa calçada à luz do crepúsculo.

Assim aconteceu com ela.

Enquanto vagava pelo caminho tão conhecido e comum, ela estava apenas ligeiramente consciente do lugar aonde ia. Seus pés moviam-se na direção a que estava acostumada a ir : aquela rua alegre e movimentada que era o endereço de sua mais próxima amiga. Diminuiu o passo subitamente : Pois é , nunca se sabe o que está na direção antes do derradeiro alcance do ponto.

No momento em que se aproximava deles, seu coração se enchia de um sentimento que ela havia experimentado poucas vezes : uma delas aconteceu quando ela foi finalmente aceita como “colega de mesa” daquela menina branquinha e inteligente da 2º série.

Não podendo ser diferente, juntou-se aos homens que estavam sentados na calçada em frente à casa que outrora era seu destino.

Deu-se início então ao descobrimento, mais um.

Um dos senhores, era sereno e quieto… escondido sob um sorriso tímido e inteligente, pensador.

O outro era o seu problema, o seu grande ponto de interrogação, um estranho do qual ela – subliminarmente – preferia não conhecer: de um gênio extrovertido e irrequieto (ou achava ela que era assim), fazia ele as mesmas piadas e comentários de sempre – que nunca perdiam a graça – e falava do amor como sua maior dádiva, enquanto demonstrava o seu descontentamento com o casamento,bem… um estranho com certeza.

Citava a liberdade de expressão, a fusão de pensamentos e sua total descrença para com a opinião da menina:
– Como pode a mim desconhecer, se te falo com toda clareza sobre meu ser, meu querer .. se exponho em tamanha liberdade o meu saber, se canto com toda a minha alma límpida o que vive em mim?

Ela, a garota, não tinha respostas para isto, sabia apenas que não sabia. Não via como descobrir quem realmente ele era, ou o que guardava por trás dos versos que inventava… não sentia seu íntimo apesar do gostoso conforto em que se encontrava em sua presença e não dispunha de nenhum recurso para sonda-lo, pois parecia que tudo na prisma daquele homem era o acaso, o momento, a instabilidade, senso assim: se conseguisse uma resposta para um de seus questionamentos, no dia seguinte a mesma não valeria mais.

Naquele momento, enquanto a noite brilhava no céu quente de nuvens desenhadas, ela se conformou, desistindo de buscar o “eu” do estranho que lhe fazia bem, oras, ele lhe fazia bem, já não era bom?
(…)
Nem frustração, nem pesar e nem angústia tomaram a garota aquele dia, pelo contrário: um conhecimento tinha sido somado á sua vivência: o homem muda, a mente evolui e o corpo se altera, e isso não devia ser visto com olhos pessimistas, como mais uma prova de que nunca chegaremos à solução para os problemas humanitários, a procura pela resolução é tanta… que se esquece o que quer resolver. Suas buscas de respostas para as coisas mais simples, impediam-na de apreciá-las.

Sim, leitores… o homem muda, a mente evolui e o corpo altera: isso é a valorização da alma!

Então, quando o escuro estava lá em cima, no meio da noite, meia noite, a menina fez o que não conseguia fazer normalmente há dias: dormiu.

_

Aos “Irmões” , esse texto que começa como uma reflexão sobre a amizade, passa pela reflexão sobre o comportamento do homem e termina na reflexão sobre a vida.
Não há aqui, nada que alguém já não tenha pensado e escrito, mas isso não quer dizer que não vale a pena …